PEDRA, PEDREIRA, PEDRA LASCADA, TUDO É ROCHA???

A escalada pode ser praticada nos mais variados estilos, nos mais variados locais, desde os mais inusitados aos mais triviais e imaginados.

Existem pessoas que escalam em muros artificiais, em vias esportivas de pequenas falésias, em pequenos aglomerados, os boldering, em muros de concreto, em pontes, em grandes paredes, em gelo, e em pedreiras.

Em muitos lugares os escaladores tem como local de escalada as Pedreiras, lugares geralmente já desativados, que foram escavados e dinamitados para fazer brita e cascalho, formando assim, pequenas falésias que chegam no máximo à 50 metros de altura.

Esses points de escalada geralmente encontra-se em cidades que não possuem montanhas rochosas nas proximidades, ou ficam nas proximidades de grandes cidades, e propiciam a pratica de escalada esportiva livre, e em alguns casos, mesmo que poucos escalada em móvel e artificial para treinamento.

Mesmo que muito discriminado, algumas pedreiras oferecem um verdadeiro Campo escola, aproximando-se muito de uma escalada em rocha natural, ou seja, em rocha onde as agarras foram fabricadas pela natureza, e não pela ação de implosões que abrem crateras na rocha e acabam por formar as pequenas falésias possíveis de escalar.

Como hoje, um dos primeiros passos da maioria dos praticantes no esporte, é dentro de ginásios e academias de escalada indoor, em outros tempos era feito em pedreiras, onde os escaladores aprimoraram suas técnicas, e fizeram a evolução da escalada esportiva no Brasil.

Diferentemente do Rio de Janeiro, e outras raras cidades, a escalada está longe das cidades, e requerem tempo para deslocamento e uma certa logística para a sua prática. Desde a quantidade de equipamento a ser levado, até suprimentos de água e comida, devido a distancia em que encontram-se esses locais da pratica do montanhismo em si.

Pedra

Muitos entendem que pedra é pedra, e assim sendo pode ser escalada, e pode-se praticar algumas das várias modalidades.

Esse conceito cresceu muito com os inúmeros praticantes de Boldering, que hoje é praticamente uma febre.

O que antes era praticado como aquecimento, ou apenas como aprimoramento de técnicas, hoje é uma das modalidades de escalada. E hoje temos atletas que se especializaram nesses pequenos blocos de rocha, de poucos movimentos, mas de um grau de dificuldade que extremo, que escalar determinados bolderings, requer-se enorme concentração, técnica e força, mesmo que sejam apenas 3 ou 4 movimentos que se tenha que fazer para dominar o bloco de rocha.

Para quem escala por vários locais pelo o Brasil a fora, já na trilha para se chegar as vias pode-se ver o crescimento desta modalidade dado a quantidade de magnésio nos blocos existentes no caminho.

Além da técnica, a vantagem desta modalidade está também na facilidade de sua pratica, basta um saquinho de magnésio e a sapatilha, e como alguns preferem, um “crash pad”, pequenas almofadinhas que são usadas para amortecer a queda do praticante. Mas a liberdade é total, o impacto na natureza também, não existe qualquer tipo de proteção fixa na rocha, é uma escala totalmente livre e limpa, como a conhecida Solo, só que sem os riscos é claro.

Com o crescimento, que teve sua incubação dentro de academias e paredes artificiais, surgiram os campeonatos, e seus inúmeros praticantes.

Mesmo com a grande discussão com relação ao grau dos problemas, isso mesmo, problemas, é como costumam chamar os praticantes de bolder, o lance de 3 ou 4 movimentos é um problema a ser resolvido por quem pretende ecadenar (escalar) o lance, ou bloco como alguns preferem, onde para uns um 9a não é um 9a e assim por diante.

O fato é que neste caso, pedra é pedra, e se pode escalar também.

Pedreira

Para muitos pedra é pedra, e pedreira tem pedra, e assim sendo, também como os Bolderings pode ser escalado e pratica na pedreira várias modalidades de escalada.

A escalada em Pedreiras teve seu boom inicial nos primórdios do esporte no Brasil, como já dito, o local era muito procurado por praticantes pelo fácil acesso, e pela possibilidade de se criar vias de alto grau de dificuldade, esportiva e bem protegida, onde dificilmente a conquista era feita por baixo, na verdade não se conquistava, apenas abria-se uma nova via, em tope rope (corda por cima), malhava-se a mesma, e depois batiam-se os grampos na pedra para escalar a via costurando, mesmo que de maneira arcaica, como era feito, até o surgimento de costuras expressas hoje conhecidas, era o inicio da escalada esportiva em muitos lugares, no Rio como já dito, um dos berços da escalada e do montanhismo Brasileiro, esse processo não ocorreu, pois a natureza foi bem gentil e colocou lá inúmeras possibilidades da escalada na rocha.

No Paraná, também um dos berços do montanhismo, com as escaladas no Marumbi, as pedreiras também tiveram seu papel importante, ainda hoje é possível se ver os grampos na Pedreira Paulo Leminsk, que atualmente é um centro de eventos e shows em Curitiba. Mas com a descoberta do Anhangava, uma maciço de rocha de fácil acesso e extremamente próximo de Curitiba, e a possibilidade da pratica da escalada esportiva e abertura de inúmeras vias, como é hoje, as pedreiras foram esquecidas, e deixaram de ser o foco do praticantes, não foi diferente em outros lugares como em São Paulo, pois a evolução do esporte automaticamente fez com que os escaladores buscassem novos locais para a pratica.

A escalada indoor, como já dito, trouxe um novo paradoxo para a escalada, e trouxe também novos e inúmeros praticantes, hoje já existem colégios que usam esta modalidade como parte curricular da matéria de educação física, trazendo cada vez mais cedo novos adeptos, em feiras é normal você encontrar um paredão para seus visitantes brincarem. Mas como é preciso evoluir, ou geralmente os praticantes buscam isso, e em muitas cidades isso não é possível, pois os lugares para se praticar ficam longe, há quilômetros de distancia, as Pedreiras voltaram a cena, e hoje em várias cidades se pratica a escalada nessas paredes.

Pedra Lascada

Escalar em pedreira é perigoso sim, não diferente dos outros locais, mas como as agarras são feitas pelas implosões na maioria das vezes, as pedras são encaixadas como o próprio peso. É claro que existem várias vias nesses lugares, onde a implosão fora tão forte que a via é aberta em um gigantesco e interiso bloco de pedra, criando saliências e lascas que simulam perfeitamente uma via aberta em uma rocha onde esta ação fora feita pela natureza. Alguns consideram a escalada em Pedreira tão importante, que para os iniciantes de cursos básicos de aprendizado, dão a sua pratica em paredes artificiais na primeira etapa, em pedreira na segunda etapa, e depois em falésias ou montanhas onde se pratica escalada.

O ponto forte dos que defendem esta teoria é de que em pedreiras, os praticantes aprendem muito como preservar, podem cometer alguns erros e ver exemplos reais do que se pode e não se pode fazer ao abrir uma via, simular situações de perigo bem próximas as que podem ocorrer em uma parede natural.

Em Londrina, no Paraná, por exemplo, existe uma Pedreira com várias vias de variados graus de dificuldade, até escalada em móvel e artificial, mesmo que, esta ultima, para muitos, praticar em pedreira é simplesmente uma loucura ou uma insanidade, já que, nestas estas modalidades, a proteção tanto passiva quanto ativa, é coloca em fendas, e no caso das pedreiras, essas fendas são espaços que ficam entre as pedras que se encaixam umas nas outras, sendo assim, o risco de a pedra deslocar-se em caso de queda e a pressão exercida pela peça (móvel) é enorme, não que em uma fenda feita pela ação do vento e da água, pelo tempo, não tenha riscos também, existe a possibilidade de a rocha quebra-se, mas em pedreiras tem-se essas duas possibilidades bem acerbadas, a segunda é maior ainda, a pedra além de estar encaixada, ou encaixotada em outras pedras, sofreu anteriormente um grande impacto com as explosões feitas na pedreira, e isso pode ocasionar tricôs imperceptíveis.

Os que praticam essa modalidade em pedreira, alegam seguir alguns conceitos de segurança, onde uma análise apurada das fendas é feita cuidadosamente, mesmo assim, a maioria das vias é mista, e os praticantes de Pedreira, fazem um backup em determinados pontos nas proteções fixas, e essas vias em móvel tornam-se um verdadeiro campo de treinamento para simular vias em rochas naturais ou de grandes paredes.

Tudo é rocha

Controvérsias e divergências à parte, a verdade é que tudo é rocha, pedra, pedreira, pedra lascada.

Existem os escaladores de Big Walls (grandes paredes), escaladores Esportivos, escaladores em Gelo, escaladores de Boldering (pequenos blocos), escaladores Indoor, escaladores de Pedreiras, escaladores de Tradicionais, Livre, etc., escaladores que são adeptos a todas essas modalidades, ou a somente uma dessas, mas Pedra é Pedra, Rocha é Rocha, Rocha é tem Pedra, e Pedra esta na Rocha, e quem sobe estes é escalador e tem no seu intuito principal, na maioria das vez e casos, escalar e praticar esporte.

Bons ventos,

Victor Beal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>